segunda-feira, agosto 10, 2009

LENDAS DO PORTIMONENSE - SORENSEN (87/89)

Uma das imagens mais recentes de Sorensen (2008)

Acção de Marketing no Walsall, clube Inglês onde foi treinador (1997/1998)

73 jogos e 18 golos ao serviço do Twente, na Holanda (1983/1985)

Sorensen em treino no Twente, na imagem à direita do treinador Fritz Korbach

73 jogos e 18 golos com a camisola do Twente

Marco histórico na carreira de Sorensen: final da Taça dos Campões Europeus que o Brugge perdeu (0-1), em Wembley, frente ao Liverpool, em 1978. Sorensen veste a camisola branca.

Camisola original de Sorensen na final de Wembley

Club Brugges. Sorensen, na fila do meio, o segundo a contar da direita. Ao serviço do clube Belga participou em 156 jogos tendo marcado 50 golos. Actualmente é considerado um dos melhores jogadores de sempre.


Jan Sorensen nasceu a 14 de Maio de 1955 em Glostrup, na Dinamarca. Foi no clube da sua terra que começou a dar os primeiros pontapés, lapidando a sua enorme potencialidade. Com 22 anos mudou-se para o BK Frem mas em poucos meses foi contratado pelo Club Brugges (Bélgica) para a sua primeira experiência internacional. Tornou-se um dos históricos desta equipa, tendo alinhado em 156 jogos oficiais nos quais marcou 50 golos.

A 10 de Maio de 1978 fez história ao participar na final de Wembley entre o Brugges e o Liverpool. Com o apoio de 25 mil adeptos belgas, o Brugges acabou por perder 0-1 esta final da Taça dos Campeões Europeus (actualmente denominada Liga dos Campeões) mas viveu um dos momentos mais altos de sempre. O sonho só morreu por culpa de Kenny Dalglish, autor do golo que resolveu a partida aos 64 minutos. A julgar pelas imagens do resumo, a vitória do Liverpool foi incontestável...




Em 1983 estreia-se na Holanda ao serviço do Twente. Fica até 1985, novamente com um saldo extremamente positivo: 73 jogos e 18 golos. Foi depois contratado pelo Feyenoord onde permaneceu uma temporada durante a qual marcou 9 golos em 25 jogos.

Em 86/87 nova mudança de clube mas com permanência na Holanda: Excelsior. 7 golos em 27 jogos valeram-lhe o passaporte para o gigante Ajax, onde pela primeira vez na sua carreira, e já com 32 anos, acaba por não ser feliz. Participa em 5 jogos e muda-se para Portimão.

O objectivo era claro: ajudar a salvar o clube da descida de divisão, e foi cumprido. No Portimonense vimos um Sorensen de classe, que sabia fazer a equipa jogar e nunca perdia o sentido de baliza, fruto de um poderoso pé esquerdo, capaz de rematar de qualquer zona do campo. Também os seus livres ficaram famosos. Não era um Sorensen explosivo. Mas, claramente, tratava-se de um elemento acima da média. Fica até 1989, já com 34 anos de idade. Na posição "10", atrás dos jogadores mais avançados, bastava-lhe estar perto da baliza para marcar golos e fazer passes decisivos.

Vários prémios ficaram por pagar e Sorensen desentende-se com o clube. Decide abandonar a carreira de jogador mas permanece no Algarve onde se dedica ao ramo imobiliário em transacções de vivendas. Foi no Algarve que conheceu a sua segunda esposa, a Britânica Leeann.

Não se manteve totalmente afastado do futebol. Em 97/98 treinou o Walsall (Inglaterra). Em 2000 regressou finalmente à Dinamarca para se tornar director desportivo do Hvidovre.

Pela Selecção da Dinamarca, Sorensen contabilizou 11 jogos e 3 golos.

Sem dúvida um dos jogadores mais marcantes da história do Portimonense, com entrada directa na galeria das "Lendas", pese embora apenas ter representado o nosso clube numa fase descendente da sua carreira. Mas ainda a tempo de fazer a diferença!

3 comentários:

Fabio disse...

nao ha fotos dele no psc?

Simms disse...

Oi Fábio.

Não tenho. Se as tiveres e as quiseres disponibilizar, seria óptimo.

Obrigado
Simões

Anónimo disse...

gostei !!! mas falta o historico com a camisola do portimonense