segunda-feira, julho 12, 2010

É OFICIAL! CANDEIAS NO PORTIMONENSE

O extremo Candeias será jogador do Portimonense até ao final da época 2010/2011, por empréstimo do F.C. Porto, engrossando assim o contingente de atletas cedidos pelos "dragões" ao clube algarvio, e que inclui ainda, Soares, Pedro Moreira, André Pinto e Ventura. Estes dois últimos irão integrar o plantel alvinegro após o final do estágio do F.C. Porto em Marienfeld (Alemanha).

O jovem extremo que na época passada representou o Recreativo Huelva (Espanha) e o Paços de Ferreira, juntou-se hoje ao plantel algarvio que se encontra a estagiar em Celorico da Beira até à próxima quarta-feira (dia 14). Na véspera da partida do local de estágio terá lugar o primeiro encontro de preparação frente ao Sp. Covilhã, em jogo de apresentação do emblema serrano aos sócios.

13 comentários:

sloml disse...

Não questiono a sua qualidade (que é muita) nem a de Soares, que não conheço, mas será que o Portimonense não arranjava melhor que Pedro Moreira, André Pinto e Ventura? É que esta dependência do Porto é uma coisa gritante e que já se verificou o ano passado no Olhanense. Ter 5 ou mais jogadores emprestados seja de que clube for é quase ridículo. Bem, mas o que interessa é que o Portimonense se mantenha na I Liga.

P. disse...

Sloml,

Os jogadores que o Porto empresta não implicam qualquer salário ao Portimonense. São meia dúzia de salários que representam parte substancial do orçamento de uma equipa.

Se os jogadores cumprirem desportivamente, penso que só teremos a agradecer por beneficiarmos de condições tão favoráveis. Com um orçamento tão limitado não há milagres...

sloml disse...

Pois, P, o problema é que poucos clubes não pedem quaisquer contrapartidas por tão bonitos gestos. E dos poucos que o fazem, o Porto não é um deles, acredita. Esperemos que tudo corra pelo melhor com o Portimonense.

Pedro disse...

Pedro,

O que dizes pode ser verdade mas será que é a única forma de abordar esta questão?

Não faz para mim sentido estarmos em termos de empréstimos submetidos a apenas um clube. Podes ter a certeza que se surgir algum jogador nosso a dar nas vistas fora do leque dos emprestados, seguirá directamente para o FC Porto, e não seremos de certeza compensados do ponto de vista financeiro.

Por outro lado, por exemplo em 2007/08 chegaram ao Portimonense jovens de valor como Mário Felgueiras, Miguel Ângelo, Tarantini ou Emídio Rafael mas que já não estavam vinculados aos seus anteriores clubes. Senão rebemos um tostão por eles deve-se ao facto de quem fez os contratos não ter tido em conta uma possível venda. Aliás, repito, não me lembro do Portimonense vender um jogador desde Serjão. Por exemplo, o Fátima acaba de vender um jogador para Itália, por 50.000€, pode não ser muito mas já é qualquer coisa... Na tua opinião porque achas que tal acontece?

E será que não valia o esforço de garantir por exemplo Wison Eduardo, compartecipando parte dos seus vencimentos?

Última questão, o Benfica também empresta jogadores. Porque persiste o Portimonense a não estabelecer qualquer aproximação ao Benfica. Será que não quer ou será que não pode? Não deveria em minha opinião colocar-se a preferência clubista dos nossos dirigentes em função de outros negócios que poderiam ser-nos proveitosos. Lembro que o Olhanense mantem boas relações com todos os grandes esta época ficou privado de receber jogadores do FC Porto porque Jorge Costa saiu... Connosco pode acontecer o mesmo, bastava a Direcção mudar...

Para muitos, a política de empréstimos é um pau de dois bicos. Porque não apostarmos na nossa formação? Os nossos jovens sabem que nunca integrarão a estrutura profissional. Fábio Nunes tinha condições mas saiu para o FC Porto e ninguém diz quanto recebemos pela transferência nem parece interessado em saber... Não recebemos nada, certo?

Cumprimentos

Nuno disse...

Mas agora vocês querem que a direcção pense só no bem do Portimonense, então e os amigos não se ajuda? Querem mudar a gestão do futebol Português, esqueçam lá isso...

Antonio disse...

é a direção do Portimonense, nao a direção dos amigos.

Anónimo disse...

A quem serve esta política desportiva?
À manutenção do clube (tal qual aconteceu com o olhanense)
ou
À FCP SAD na sua estratégia de empréstimos para fins económicos e desportivos?

P. disse...

Ao Portimonense, não pagar salários será concerteza vantajoso (se os jogadores corresponderem desportivamente).

Há um passivo que tem de ser eliminado. É uma questão de sobrevivência do clube.

Pedro disse...

Simões, com todo o respeito, contava que respondesses ou pelo menos opinasses sobre as questões que te coloquei.

Cumprimentos

P. disse...

Pedro,

Acho que o Portimonense deveria relacionar-se por igual com todos os clubes, apenas porque institucionalmente é assim que deve ser.

Em relação aos empréstimos, não creio existir qualquer boicote a jogadores de outros clubes que não o FC Porto. Trata-se simplesmente das condições de empréstimo que através do Porto saem quase a custo zero. Enquanto o Sporting ofereceu condições semelhantes, o Wilson Eduardo esteve cá e falou-se mesmo de outros jogadores (por exemplo o Mexer).

Em relação aos jogadores que saem a custo zero acho normalíssimo. Em primeiro lugar porque num clube que paga salários baixos acho perfeitamente normal que os jogadores não queiram prolongar vínculo. Um ano de contrato até pode ser imposição dos atletas. Devo recordar que na época passada só o Carregado pagava menos que nós. Em segundo lugar porque na Liga de Honra não há mercado de compras e vendas. Um bom exemplo é o Diogo (o atleta que mais se valorizou) que em Janeiro era pretendido por todos mas como era preciso pagar já ninguém o quis.

Em relação ao futebol jovem, o aproveitamento tem sido curto mas parece-me que os resultados também. Na época passada pude ver alguns jogos dos juniores e creio que estão a ser concedidas as oportunidades certas aos jogadores certos para terem oportunidade de mostrar valor.

Um abraço!
Simões

Pedro disse...

Simões,

O Varzim conseguiu vender, o Fátima conseguiu vender e o Aves, por ter feito um excelente négócio com o Everton, consegue agora reforçar-se muito bem para apostar na subida. Inclusive, consegue assegurar jogadores que eram pretendidos por clubes da Liga Zon Sagres.

Um abraço.

P. disse...

Claro que sim, Pedro. Mas esse não é o panorama geral deste campeonato (2ª Liga) onde os clubes se reforçam com jogadores a custo zero ou provenientes de trocas.

Não circula dinheiro de compras e vendas. Nem os clubes da 1ª Liga quiseram pagar para ter o Diogo em Janeiro, só queriam ceder reservas como moeda de troca. E estamos a falar do jogador que tinha mais mercado...

Pedro disse...

Simões,

Mas por essa lógica, agora que estamos na Liga Principal, será ou deveria ser diferente, certo?

Quais são os nossos activos neste momento? Que atletas temos que hipotéticamente poderão permitir um encaixe financeiro?

Devido aos contratos por uma época, é muito difícil ou impossível realizar algum encaixe.
Será normal não vendermos um jogador desde o Serjão? Porque existem clubes na Liga Orangina que assinam por três épocas com alguns atletas?

Cumprimentos